top of page
Faixa de contato

Blog

Buscar

Tendências das redes sociais para 2023

Dentre as tendências estão o uso de vídeos, a extensão do mundo digital e a compra de produtos por meio das redes sociais. Confira estas e outras tendências para ficarmos de olho.


O ano de 2022 foi marcado por um crescimento do público no universo digital. Segundo dados da Global Interconnection Index (GXI), mais de 50% dos empresários pretendem focar em novos modelos de negócio no âmbito digital em 2023.


2023 ainda carrega incertezas sobre diversos setores e o poder de compra do consumidor, que ainda é impactado pelo desemprego, inflação e salários otimizados.


À medida que as redes sociais foram ganhando espaço e confiança, elas se tornaram canais oficiais de venda, relacionamento e posicionamento de marcas de diferentes setores. Apesar do cenário econômico incerto, muitas empresas estão apostando no orçamento digital como estratégia para o ano.


Separamos algumas tendências que irão marcar 2023 e auxiliarão empresas a se planejarem a curto e longo prazo.



1. Utilização de vídeos e reels

Seja um conteúdo curto, um tutorial no Youtube, um challenge no TikTok ou um reels, os vídeos ganharam espaço e estão cada vez mais otimizados. A própria rede Meta divulgou que 74% dos usuários do Instagram afirmam que o Reels é uma das melhores ferramentas já criadas na rede.


Os vídeos verticais (TikTok e Instagram Reels) passaram a ser incluídos na estratégia digital como um mix de diferentes entregas de conteúdo nessas plataformas, devido ao fato de já fazerem parte da rotina dos usuários.


2. Evolução dos dados

Segundo o próprio Mark Zuckenberg, 30% a 40% do feed dos usuários é composto por sugestões com base em dados gerados por inteligência artificial.


O investimento em publicidade segmentada também segue utilizando insights gerados a partir da audiência de conteúdos orgânicos e pagos nas redes sociais. Sai ganhando a marca que utiliza seus dados para transformá-los em informação relevante para as estratégias de negócio.


3. Social commerce ou s-commerce

Segundo a GWI, 54% dos usuários já recorrem às plataformas sociais para pesquisar produtos. No primeiro semestre de 2022, o e-commerce atingiu a marca de R$ 118,6 bilhões no país, alta de 6% em comparação com o mesmo período do ano anterior, representando um volume aproximado de R$ 111,8 bilhões, pelos dados fornecidos no relatório Webshoppers 46, elaborado pela NielsenIQ|Ebit, em parceria com a Bexs Pay.


Funções de compra via redes sociais já são exploradas no Instagram, que lidera o ranking no Brasil. Além disso, muitas marcas passaram a apostar no Tiktok para promoverem produtos de forma dinâmica e descontraída.


4. Papel dos microinfluenciadores

Não é preciso de milhões de seguidores para construírem legados junto às marcas. Por terem mais proximidade com seus seguidores e adaptarem melhor a mensagem, a aposta de 2023 é otimizar orçamentos contando com parceria junto aos microinfluenciadores, que podem garantir mais diversificação de investimento e serem mais acessíveis para empresas.


5. Investimentos cada vez mais estratégicos

Em 2022, o investimento médio global com redes sociais aumentou em 18%, no segundo trimestre do ano, em comparação ao mesmo período de 2021, aponta. De acordo com o levantamento da Emplifi, o investimento estimado, por marca, chegou a mais de US$ 4,2 mil.


Segundo a Emplifi Brasil, os anunciantes brasileiros preferem investir no Instagram (68%) e TikTok (32%). A tendência para 2023 é que esses números continuem crescendo e o monitoramento, gerenciamento e ROI serão essenciais para que os investimentos sejam cada vez mais certeiros.


6. As redes sociais ultrapassam as barreiras digitais

Em 2022 diversos desafios foram feitos tanto no Instagram quanto no TikTok. Uma das marcas que topou atrelar sua estratégia aos famosos “challenges” foi a Adidas, com a campanha “Crie o seu Movimento”.


Além disso, os consumidores aceitam gravar vídeos sozinhos ou em grupo, viralizando músicas, marcas de beleza, vestuário, games, entre outros. Entre uma rede vizinha e outra, a ideia é tornar a experiência digital uma extensão das atividades diárias desse público.


7. Relacionamento e atendimento ao cliente

Segundo dados da Hootsuite sobre tendências em 2023, os consumidores permanecem exigindo retornos cada vez mais rápidos de dúvidas, questionamentos, compras e pós-venda. As respostas precisam atender às expectativas quase em tempo real.


Além disso, o consumidor busca comodidade ao buscar um produto ou serviço, quer ser notificado sobre novidades. Canais omnichannel se tornam essenciais e a comunicação precisa fluir entre redes sociais, chatbots e canais oficiais de atendimento da empresa.


8. Entrada do Snack Content

O termo Snack Content significa pílulas de conteúdo, ou seja, a entrega de informações simples e diretas chamam mais atenção do consumidor, segundo apontamento do relatório Social Media Trends, da Hootsuite.


Vídeos curtos verticais, conteúdos menos densos e diversificação para diferentes momentos da jornada do consumidor devem ser considerados, já que os usuários estão cada vez mais críticos e conscientes do que estão consumindo digitalmente e sobre o controle dos seus dados.


Entre uma tendência e outra, prevalece a conformidade, consciência e autenticidade das marcas em respeitarem seus consumidores em diferentes frentes. Contar com profissionais que podem auxiliar a sua empresa nessa jornada digital é fundamental.



27 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page